fbpx

#historias

Você sabe de quem são as delícias das lanchonetes do Consulado da Mulher na Whirlpool?

Bruna, Cacilda, Gabrielle, Ivone e Pati são as empreendedoras que fornecem seus deliciosos produtos para a lanchonete Salsa Rosa em São Paulo. Elas, juntamente da Márcia, empreendedora que administra o local e também responsável pelo maravilhoso bolo de chocolate Mr.Brown fazem sucesso na W-House. Vem conhecer um pouquinho da história delas.

Bruna Souza, do empreendimento Bela Massa Salgados (@salgadosbelamassa)

De família toda baiana, a empreendedora teve contato com a culinária através dos pais, que sabiam fazer as melhores comidas nordestinas. Ela conta que está aprendendo muita coisa com a assessoria do Consulado e que hoje se considera uma outra mulher. “Tenho uma visão diferente sobre meu empreendimento, entendi qual o jeito correto de agir e está dando certo, tudo está mudando para melhor e essa mudança está sendo sensacional”, conta ela.

Bruna é responsável pelo fornecimento dos salgados, assados e coxinhas da lanchonete. 

 

Cacilda Queiroz, do empreendimento Castanha Serviços (@castanhaalimentacao)

Apesar da infância difícil, a empreendedora se apegou à culinária como forma de agradar aos pais. Com o tempo começou a fazer cursos e aperfeiçoar a sua paixão pela cozinha. Passou por muitos altos e baixos no empreendimento, sendo o pior deles, a pandemia. Hoje conseguiu estruturar o seu negócio. “O conhecimento fortalece e me ajuda a ter precaução para tomar as melhores decisões”, orgulha-se Cacilda. Cacilda é responsável pelo fornecimento  dos pães de queijo da lanchonete.  

 

Gabrielle Costa,  do empreendimento Era uma vez confeitaria (@eraumavezconfeitaria)

Apaixonada pela cozinha desde criança, a empreendedora, filha de mãe solo, conta que sempre aprendeu a se virar na cozinha, pois amava ficar inventando pratos. A sua primeira receita foi bolo de microondas. Veio através da vó, dona Heloísa, a inspiração para os doces. Em seu caminho, acabou desviando a formação para o direito e apesar de ter conquistado um concurso público, o seu sonho estava na confeitaria. “Eu batalho para tornar o meu negócio próprio a minha única fonte de renda e realizações dos meus sonhos, e desejo um dia poder empregar e impactar a vida de muitas outras mulheres”, conta Gabrielle.

Gabrielle é responsável pelo fornecimento das barras de chocolate recheadas e mini da lanchonete. 

Ivone de Freitas, do empreendimento Sabor & Arte Confeitaria (@saborearteconfeitaria_)

Por meio de incentivo da irmã que trabalha com confeitaria há mais de 20 anos, Ivone  decidiu aperfeiçoar um gosto que já vinha da infância. Fez cursos no ramo e hoje está crescendo como empreendedora superando as dificuldades e inovando em seu empreendimento. “Estou descobrindo possibilidades novas de fazer meu trabalho ser mais conhecido”,  orgulha-se Ivone.

Ivone é responsável pelo fornecimento de bolos secos e confeitados da lanchonete.

 

Patrícia Taschetto, do empreendimento Pati Taschetto  (@pati_taschetto)

Começou a fazer doces para contribuir com a renda mensal, visto que recebia somente um salário mínimo. Com o passar dos anos, após uma demissão, os doces que eram uma renda extra, passaram a ser a única fonte de renda. Hoje, com a assessoria do Consulado, a empreendedora aumentou as vendas e organizou as finanças. “Hoje posso dizer com toda certeza que sou outra mulher. Mais confiante, mais crente, mais organizada, mais corajosa”, explica Patrícia.

Patrícia é responsável pelo fornecimento dos pães de mel, trufas, brigadeiros e bolos bombom da lanchonete. 

Tamiris Bolos em…O sonho continua!

O meu trabalho foi a minha válvula de escape. Me ajudou muito a não pensar que eu tinha perdido a minha mãe

Empreender sempre foi um desejo na vida de Tamiris, mas ela nunca imaginou que fosse na área da alimentação, assim como a mãe Dona Edna que sempre teve o dom de cozinhar, e já trabalhava com outra pessoa que fazia o mesmo, queria ter a filha ao lado para seguir esse sonho. E não é que o sonho se concretizou? Entre idas e vindas, Tamiris se rendeu ao desejo da mãe e juntou-se ao negócio, onde permaneceu por 4 anos. Quando chegou o momento de mãe e filha seguirem sozinhas no empreendimento, a empreendedora decidiu fazer uma reforma geral na casa para adaptar o espaço para o seu novo negócio que estava prestes a nascer: Tamiris Bolos. 


Foi assim que a cidade de Rio Claro, em São Paulo, ganhou um novo talento da confeitaria. Quem conhece os bolos da Tamiris não esquece mais. Ela começou com a proposta mais tradicional, com bolos recheados com frutas, que aprendeu com a mãe e com o tempo foi aprimorando e colocando mais sabores. “Eu faço um pouquinho de tudo! Lá onde eu trabalhava era bem limitado, a gente não trabalhava com leite Ninho, nem com Nutella. Então, eu comecei a ver que os clientes começaram a pedir muito e decidi incluir no meu cardápio”, conta Tamiris.
Apesar de fazer sucesso com qualquer sabor, a empreendedora admite que o campeão de vendas invicto, o queridinho dos clientes que não sai do primeiro lugar é o bolo de abacaxi. Não tem pra ninguém! Pura nostalgia de festa. 

Dona Edna, infelizmente, faleceu durante o período da reforma e não conseguiu ver o empreendimento ganhando forma, mas Tamiris conta que decidiu continuar seguindo o sonho da mãe e se dedica todo dia para fazer o negócio crescer e se tornar conhecido. “No começo foi bem difícil, continuar sem ela, mas continuei e faz 3 anos que eu estou empreendendo na minha casa”, lembra-se a empreendedora. “Eu acho que se eu não tivesse esse trabalho, eu teria entrado em uma depressão. Por ser um trabalho muito corrido, eu não tinha muito tempo de ficar pensando que eu tinha perdido a minha mãe”, completa ela. A certeza que fica é que onde quer que a Dona Edna esteja, ela tem muito orgulho da filha e do empreendimento que tem conquistado a cidade de Rio Claro.

Tamiris segue com o negócio sozinha, mas vire e mexe tem uma pequena ajuda do Kauan, o filho de 10 anos que ama os bolos da mãe. “Quando eu estou um pouquinho apertada, eu coloco ele pra secar uma louça e guardar. E às vezes ele aparece aqui quando estou fazendo brigadeiro e fala: Hum, mãe, que cheirinho bom”. A gente te entende, Kauan! Afinal, é uma delícia melhor que a outra.

 

 

 

 Relação com o Consulado

Tamiris chegou até o Consulado da Mulher através de uma amiga que já fazia parte do Programa de Educação Empreendedora. Ela conta que estava um pouco perdida em como precificar o seu produto e começou a perguntar por aí, quando a amiga, Edilaine, indicou o Consulado e finalmente as coisas começaram a mudar.
Ainda enfrentou as dificuldades iniciais com a organização do dinheiro. “Eu apanhei bastante para administrar, depois que eu conheci o Consulado ficou mais simples”, conta Tamiris.

Depois que aprendeu a divulgar o seu trabalho nas redes sociais e no whatsapp, começou também a receber os primeiros retornos positivos sobre os seus bolos. “Eu sempre falava que eu tinha nascido sem dom, mas quando eu comecei a trabalhar fazendo bolos, me despertou essa vontade de aprender mais sobre a confeitaria, ter vontade de colocar a mão na massa, e é o que gosto mesmo de fazer”, orgulha-se ela. E que bom que esse dom foi descoberto, pois agora todos podemos contar com esses bolos deliciosos circulando por aí!

Visite a página da empreendedora no instagram. Clique aqui!