Blog

Outubro Rosa: previna-se! | Entrevista com Solange Moreno


O mês de outubro é também conhecido como Outubro Rosa e a campanha tem como objetivo conscientizar as mulheres sobre a prevenção do câncer de mama.

Diagnosticar precocemente a doença, aumenta significativamente as chances de cura. Este é o exemplo da Solange Moreno, empreendedora ex-assessorada do Consulado da Mulher que, no exame de rotina descobriu a doença e hoje busca viver a vida intensamente. Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Conte-nos um pouco sobre você e sua história como empreendedora.
Solange:
“Meu nome é Solange Moreno, eu sou cabeleireira e faço bolos e doces. Cabeleireira era minha profissão, mas eu cozinhava por hobby e levava para as minhas clientes. Depois da mudança na minha vida, isso se tornou o meu sustento, meu principal trabalho, então hoje eu faço bolos, doces, tortas, panetone, ovo de páscoa, entre outros. Eu tenho espírito de empreendedora desde pequenininha. Eu sempre estava empreendendo, fazendo minhas coisas, vendendo roupa. Depois eu comecei a fazer as comidinhas. No começo, fazia para os filhos, comecei a frequentar os cursinhos para fazer para os aniversários da família, foi quando as pessoas começaram a me elogiar, a gostar, então eu pensei: “Opa! Aí é um nicho, né?!”. Foi quando comecei a vender de fato.” 

E como descobriu a doença? Como foi o processo?
Solange:
“Eu tive uns problemas na vesícula e você sabe como é a saúde pública, né? Nunca dava certo! Quando eu estava na fila para fazer a cirurgia, decidi fazer um convênio médico, mas tinha carência. Certo dia, trabalhando, minhas clientes falaram: “Vamos comer pastel?”, eu falei “Vocês querem me matar, né?” e expliquei que estava passando mal com tudo que comia, me perguntaram porque eu não operava e disse que estava na fila. Uma delas trabalhava no hospital com um médico cirurgião e em cinco dias eu estava passando em uma consulta. Neste mesmo dia, fui operada. Foi um pouco complicada, pois haviam várias pedras, passei muito mal no pós-operatório. Isso foi em setembro de 2014. Para aproveitar o convênio que havia feito, meu filho recomendou que eu fizesse todos os exames possíveis, um check-up mesmo. Em outubro, passei no ginecologista e ele pediu vários. Fiz todos eles. Fiz a mamografia em novembro e em dezembro faria o ultrassom. Já com o resultado da mamografia, indicando câncer, marquei o mastologista. [O meu médico, Dr. Érico, foi maravilhoso. A minha recuperação se deve a ele. Ele foi o cara]. Fiz a consulta e a suspeita foi confirmada: estava diagnosticada com câncer de mama. Na hora, questionei se era maligno ou benigno e ele disse: “Câncer é câncer!”. Em fevereiro, fiz a biópsia. Voltei no consultório e ele me falou: “Está pronta para operar?”. Um mês depois fiz a cirurgia (só foi necessário fazer o quadrante) e na mesa mesmo, foi feita a reconstrução da mama. Sai do hospital no dia seguinte. Meus amigos e meus filhos foram muito muito importantes. A cabeça da gente pira, a gente fica muito frágil, com medo. Meu maior medo era a quimioterapia, eu trabalho com beleza também, como eu ia me olhar no espelho careca? Foi quando o doutor falou: “Você não vai fazer quimioterapia. Radioterapia será suficiente.”. Fiz as 28 sessões. Tive algumas complicações no final, principalmente. Mas em nenhum momento eu desanimei, eu nunca deixei as dificuldades me vencerem, nem o câncer. Fui a luta, hoje eu saio, eu viajo, eu namoro. As pessoas precisam se prevenir, porque eu não sentia dor, eu não sentia caroço, eu não sentia nada. Se não fosse o exame de rotina, eu não teria descoberto. Meu câncer foi descoberto bem no comecinho, tinha 1 cm. É muito importante todas as mulheres fazerem os exames, não é só: “Me toquei e não senti nada!”, ele pode estar ali escondido e você não está sentindo nada.”

Qual a importância da família e dos amigos nesse processo?
Solange: “É total! A gente se sente muito frágil, muito frágil. Tenho duas amigas em especial, que são a Paula e a Bete. Só pela minha voz, elas já sabiam quando eu não estava bem. Me chamavam para ir na padaria e ficávamos lá, durante 3h, conversando e rindo. Meus filhos também, muito carinho, sempre presentes. As pessoas falam: “Ela é bipolar!”, mas não é isso, sua cabeça fica a mil. Você fica muito frágil. Agora eu faço acompanhamento. Tomo remédio diariamente e quando completar 5 anos, terei alta realmente. É complicado! Mas tem que se cuidar e viver. Hoje eu dou valor às pequenas coisas, eu estou viva hoje, eu vou viver o hoje, tenho vontade de comer algo, vou comer hoje. O amanhã a Deus pertence. Temos que viver hoje como se fosse o último dia. E procurar levar alegria por onde você passa.”

Se pudesse dar um conselho para as mulheres neste Outubro Rosa, o que diria?
Solange: “Eu diria para todas as mulheres fazerem o exame, procurar um médico. E não ver isso como o fim. Muitas vezes é um recomeço. Pra mim foi um recomeço. Eu renasci. Foi meu aniversário de 50 anos e eu renasci. É outra cabeça, outros valores, outra visão, outra vida. Todo mundo tem que se prevenir, fazer o exame e, se acontecer, não ver isso como o fim do mundo. Não é o fim do mundo. É o recomeço de uma nova vida, uma nova fase. De repente você descobre coisas que não via antes, e começa a dar valor ao que realmente importa. Temos que viver bem. Fazer bem ao próximo e procurar a nossa felicidade, porque ela só depende de nós mesmas.”

Para finalizar, como enxerga a atuação do Consulado na sua vida.
Solange: “Hoje eu sei exatamente o valor do meu trabalho. Sei quanto vale a minha mão de obra. Sei o quanto devo cobrar de cada produto meu. O Consulado deixa a gente bem mais profissional. Nos torna realmente profissionais, empreendedoras de verdade. Mudou tudo! Sou muito grata ao Consulado.”


O Ministério da Saúde afirma que você tomar algumas atitudes para reduzir os riscos:

  • Ter uma alimentação saudável, ingerindo verduras, legumes, frutas, proteínas, carboidratos, cereais, além da ingestão de muito líquido;
  • Controlar seu peso;
  • Praticar exercícios físicos regularmente. Eles aliviam o estresse físico e emocional e melhoram o funcionamento do organismo;
  • Evitar o tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Esclarecer suas dúvidas com a equipe de saúde quanto às medidas preventivas e o acompanhamento de exames complementares e outros procedimentos necessários.
    Fonte: Portal da Saúde – Ministério da Saúde

Consulado da Mulher apoia esta causa e deseja que toda mulher se previna! Assista à mensagem da Sol:

 

Comments

comments

Comentários

Name*

Email* (never published)

Website